10 livros para idiotas... Oi? Como é?

Olá pessoal, tudo bem? Passando rapidinho para dividir com vocês toda minha revolta, toda minha repugnância com um artigo que foi publicado na revista Bula esses dias, que está tendo uma grande repercussão entre o mundo literário.
Antes de começar a falar do artigo, quero novamente pedir desculpas a vocês pela ausência, mas eu estou em final de período, Thalita está na Bienal no rio (lêeucominveja), enfim... está bem complicado de postar no blog esses dias! Eu fiquei devendo para vocês uma postagem sobre o filme Cidade dos Ossos, mas eu realmente gostaria de fazer essa postagem com a Thata e o Vinni, e está bem complicado para nós tirarmos um tempinho para fazermos juntos.Bem, férias estão chegando e jajá terei tempo!

Agora sobre o artigo, se vocês quiserem conferir diretamente no site cliquem aqui. Para quem prefere continuar por aqui, o artigo é o seguinte :

10 livros para idiotas

Está enganado quem acha que idiotas não leem. A verdade é que boa parte da literatura está voltada para eles, que tratam de transformar autores sem talento em multimilionários. Acontece desde antes do tempo em que seu bisavô era criança. Antes disso, Schopenhauer já dizia que “quem escreve para os tolos encontra sempre um grande público”.
Também é notado que não só os livros ruins conseguem leitores idiotas. Clássicos da literatura, alguns dos livros mais brilhantes já escritos, também carregam esse fardo. Nesta lista, elejo os 10 maiores livros para idiotas, que chamam de burro quem fala “indiota”, mas citam “Harry Potter” como um dos melhores livros já escritos na história.
10 — O Morro dos Ventos Uivantes (Emily Brontë)
Muita calma nessa hora! Antes que me xingue, deixe-me explicar: livros para idiotas não significa o mesmo que livros idiotas. Acontece que a memória do clássico de Ellis Bell, pseudônimo da britânica Emily Brontë, está sendo perturbada nos últimos anos. Culpa dela, talvez a rainha dos livros para idiotas: Stephenie Meyer. A dita cuja teve a ideia de escolher “O Morro dos Ventos Uivantes” para ser o livro preferido do casal vampiresco de sua saga. Resultado: reedição do clássico com direito a uma das cenas mais tristes da minha vida — na capa, em destaque, uma inscrição: “O livro favorito de Bella e Edward da série Crepúsculo”. Descanse em paz, Emily.
9 — Inferno (Dan Brown)
“Inferno”, o mais recente livro do autor best-seller Dan Brown, é a perfeita definição de “mais do mesmo”. O autor escreveu seis livros; são meia dúzia de histórias iguais com panos de fundo diferentes. Só muda o tema (às vezes nem isso) e as informações pesquisadas. Seus livros possuem personagenssempre iguais, superficiais e ordinários. Dan Brown é um autor para se ler de vez em quando, para relaxar a mente, não ter compromisso algum. Adorar Dan Brown é, digamos… idiotice.
8 — Assim Falou Zaratustra (Friedrich Nietzsche)
Um exemplo de um livro e escritor genial que é lido por um grande público idiota. Nove entre dez idiotas que querem falar sobre filosofia citam Nietzsche. A razão, confesso, desconheço, mas o fato sempre me incomodou. Talvez seja pelo seu conhecido ateísmo. Existe muito ateu fanático atualmente. Quer algo mais idiota?
7 — A Hora da Estrela (Clarice Lispector)
Seguindo o exemplo do filósofo alemão, Clarice Lispector é a grande escritora pop dos dias atuais (mesmo falecida há décadas). Diria que ela e Caio Fernando Abreu são os autores oficiais das redes sociais, já que aparecem todos os dias citações desconhecidas assinadas por um dos dois. Ainda acaba que, por isso, muita gente se interessa e busca conhecer os autores. O livro oficial desse público é “A Hora da Estrela”, muito porque o livro não chega nem a 100 páginas. Esse status pop de Clarice Lispector se elevou ainda mais, recentemente, entre o público adolescente no Brasil por causa do seriado “Malhação”. Uma das personagens costumava soltar frases aleatórias e remetê-las a Clarice. “Então a anta pisca o olho e os burros vem atrás” — Fatinha Lispector.
6 — Saga Crepúsculo (Stephenie Meyer)
Tanto já se disse sobre “Crepúsculo” que falar mal já virou clichê, mas uma saga que mistura história de monstros com romance platônico e que, incrivelmente, consegue ter seus livros entre os mais vendidos do mundo por anos, merece um lugar cativo entre os maiores livros para públicos idiotas.
5 — O Retrato de Dorian Gray (Oscar Wilde)
Oscar Wilde é um dos maiores escritores da língua inglesa de todos os tempos e “O Retrato de Dorian Gray” é sua obra-prima, porém, um fator inusitado está seduzindo boa parte dos leitores do autor irlandês: a homossexualidade. Wilde era sabidamente homossexual e pode-se dizer que ele morreu por isso (foi preso por “cometer atos imorais com diversos rapazes” e, na prisão, entrou em depressão, adoeceu e quando saiu, não foi mais o mesmo até seu falecimento). O que se vê ultimamente é um culto à memória de Wilde mais pela sua herança de mártir do que pela sua capacidade intelectual. E não é incomum ouvir palavras proferidas por seus personagens na boca de seus leitores sem nenhum traço de personalidade.
4 — Justin Bieber: A Biografia
Biografias geralmente não são grandes obras literárias e o que se pode dizer da biografia de, na época, uma criança de 16 anos? Biografias deveriam ser feitas apenas para grandes personagens da história na maturidade ou fim de suas vidas, pois praticamente toda sua estória já estaria escrita. Acontece que, para se aproveitar dos milhões de fãs idiotas que possui, Justin Bieber decidiu fazer mais dinheiro e lançar um livro sobre seus 16 anos de vida. O que me deixa horrorizado é que nem sempre são crianças que compram esse tipo de livro.
3 — Porta dos Fundos / Não faz Sentido: Por Trás da Câmera
De sensações do Youtube para escritores best-sellers, os comediantes do Porta dos Fundos e o vlogger Felipe Neto parece que decidiram aventurar-se em novas mídias para fazer um pouco mais de dinheiro explorando seu enorme público idiota. Pessoalmente, acho que eles estão certos mesmo, errado está quem gasta seu dinheirinho com um livro que não acrescentará nada a sua vida.
2 — Kafka para Sobrecarregados (Allan Percy)
Livros de autoajuda já são, essencialmente, destinados a pessoas idiotas. Pessoas que leem esse tipo de literatura são tipos frágeis, inseguros e com pouco autoconhecimento. O título é autoajuda, mas se isso fosse lavado ao pé da letra, não se precisaria de um livro — a solução dos problemas pessoais viria da própria pessoa e não de um livro escrito por alguém totalmente desconhecido. No caso dessa série do autor Allan Percy, que também escreveu outros títulos, como “Nietzsche para Estressados”, os livros além de almejarem ensinar o leitor a pensar em si, não conseguem nem ao menos ser originais e precisam usar o intelecto e a obra de outros autores, estes sim, verdadeiros escritores, para cumprir seu objetivo.
1 — Cinquenta Tons de Cinza (E.L. James)
Sim! Ele ainda reina soberano entre os (a) idiotas do mundo. Um livro voltado para o público feminino em meio ao amadurecimento dos movimentos feministas que ainda ocorrem, como a Marcha das Vadias, no Brasil. Uma estória sobre o fim da insegurança e a liberdade sexual da mulher. Com essas credenciais, o livro até poderia ser chamado de um “Orgulho e Preconceito” contemporâneo. Poderia. Não pode. Não deve. Não faça. “Cinquenta Tons de Cinza” é um livro extremamente banal que, tal como a série “Crepúsculo”, busca aliciar adolescentes imaturas e mulheres inseguras espelhando suas características em uma personagem superficial que vai descobrindo sua sexualidade em meio a um relacionamento absurdo com um bilionário sadomasoquista que a trata como lixo. O pior é que a personagem descobre que ama essa vida e as suas leitoras pensam: que exemplo de mulher. Mas que exemplo de “vadia”. Que exemplo de idiota.
EU, fiquei... eu, eu nem sei dizer ao certo qual foi minha reação ao ler essa barbaridade que foi escrita, Em um país como o nosso, que o número de leitores já é tão pequeno essa forma de desmotivação é completamente inaceitável. Admito que tem alguns livros nessa lista que eu realmente não gosto, mas... chamar de idiota quem aprecia essas obras é um verdadeiro absurdo.

Eu acho que é uma coisa linda, quando um livro teen, quando um livro escrito por uma autora atual abre as portas para a literatura clássica, como no caso de Crepúsculo, que fez muita gente ir ler O morro dos ventos uivantes. Não eu não gosto de Crepúsculo, mas eu acho isso fascinante.

Esses livros teens, esses livros super bem vendidos, que geraram adaptações cinematográficas que fizeram super sucesso, eles introduziram milhares de pessoas a leitura, eles aumentaram a cota de leitores em diversos países, não entendo como isso pode ser idiotice. Não entendo porque alguém elogiar grandemente Harry Potter, pode ser idiotice. Eu mesmo, sou doente por Harry Potter porque marcou a minha vida, eu cresci com isso.

Sobre os clássicos, sobre o Dan Brown eu não vou nem comentar, porque realmente acho que todo mundo achou isso absurdo e minha revolta mesmo, é essa critica absurda para os amantes de leitores adolescentes, ou que apreciam livros adolescentes.

É completamente lastimável a atitude do Tadeu Braga, é lastimável saber que alguém tem capacidade de pensar dessa maneira. É realmente uma pena que algumas pessoas tenham a mente tão pequena, tão fechada. Eu torço muito para que elas evoluam.

PS: Amanhã teremos resenha nova no blog ;)
Até lá ^^ 

16 comentários:

  1. achei ridículo esse artigo, e concordo contigo, em vez de incentivar a leitura eles falam umas coisas dessas...
    beeeeijos,
    http://diariodeumuniversoparalelo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oiee!

    Nosaaaa, fiquei de boca aberta agora, estou apavorada com este artigo.
    Acho que não importa o que as pessoas estão lendo, o importante é ler.
    Que coisa é essa de livros para idiotas? Não gostei...

    Beijos*

    ResponderExcluir
  3. Em primeiro lugar, também estou com inveja da Thalita por estar na Bienal. :P

    Olha, não conheço o cara e nem a revista e certamente me chocou o que disse sobre Harry Potter e Brown. Mas tenho que concordar com muita coisa.

    Abraço!
    http://constantesevariaveis.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Eu tenho de concordar com algumas coisas, realmente, mas a forma como ele aborda os livros sem levar em consideração a faixa etária a que são destinados é um absurdo, além de que muitos os leem no início de sua imersão no universo literário. E mais um ponto: é claro e evidente a intensão comercial de inúmeros títulos, mas taxar de idiota os seus leitores é um equívoco.

    Abraços!

    <a href="http://voudebalao.blogspot.com>Vou de Balão</a>


    ResponderExcluir
  5. Fiquei chocada com o artigo. Por acaso quem escreveu isso algum dia parou para ler algum dos livros acima ou somente está seguindo opiniões negativas de um grupo em massa?! Acho que a pessoa que escreveu isso tem algum problema ou falta de ética,gosto não se discute. O que é bom pra um pode ser maravilhoso para outros,então não vejo o por que tanta falta de respeito '-'

    http://dienyladyy.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Poxa, que artigo mais sem ética.Gosto é muito relativo, fora que como disse a amiga acima tem que levar em consideração a faixa etária. Não gosto de todos os livros da lista, mas falar que são livros para idiotas já é demais.

    Beijos

    Livros e Café

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Artigo de péssimo gosto, cadê a liberdade?
    Beijos
    http://segredosdacahlima.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Sério, nem sei o que comentar. Cada um tem direito de escrever o que quiser, mas julgar os outros que leem determinados tipos de leitura... Assim não dá :(

    Beijos
    aritmeticadasletras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Oi flor!

    Super concordo com voce. Fiquei indignada com essa lista. Primeiro com alguns dos livros maravilhosos que são citados, inclusive aclamados pela mídia e que tiveram grande importancia. E segundo porque mesmo que fossem gibis da turma da monica, nenhum livro é para idiotas. Cada um escreve sobre o que quer e vao ter leitores, porque existe gosto pra tudo. Idiota é quem fez essa lista, affz!

    Um beijo
    http://escolhasliterarias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Eu concordo com alguns pontos descritos na revista, pois alguns livros que são publicados partem de coisas bobas, mas os que ele citou são bons livros e nada têm a ver com que cada um decide o que ler. Acredito que é para isso que cada um tem o seu gosto literário. Cada um tem um estilo musical, um estilo culinário. A pessoa que escreveu este artigo não aceita estas coisas porque certamente não conseguiu se tornar multimilionário com um bom livro.

    Está tendo um sorteio lá no blog do livro Starters. Se quiser participar, pode passar lá!

    www.amigasemulheres.com

    Abraços,

    Greice Negrini

    ResponderExcluir
  12. Nunca li nenhum livro desses. Dessa lista eu leria Inferno, de Dan Brow. 5 Tons de Cinza é uma apologia à violência sexual, eu acho.
    http://gauchaopina.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Oi Paula!

    Nossa, que polêmico esse artigo, não? Realmente acho que ele não conhece a expressão: "respeito é bom e eu gosto". Não sou fã de 50 tons e muito menos da saga crepúsculo, mas na minha opinião cada leitor lê o que quer, se já tá lendo é um bom caminho para partir para outras leituras. Concordo em alguns pontos, como o caso da biografia e do livro do Porta dos fundos (que eu amo) e do Felipe Netto, acho uma oportunidade pra ganhar dinheiro sem um conteúdo muito viável. E sinceramente, acho tão errado julgar Oscar Wilde, Emily Brontë e Clarice com livros para idiotas, os três são incríveis!

    Beijos,
    biblioteca-de-resenhas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  14. Nossa fique de boca aberta,de boba agora,cada um tem o direito de ler o que quiser, se é idiota ou não problema é de quem lê. Um completo absurdo este artigo e concordo plenamente com vc. Cada gosto deve ser respeitado,eu compro os meus livros e tenho o direito de ler o que eu quiser sem ser tachada de que leio livros para idiotas.....
    Bjs
    http://meupassatempoblablabla.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  15. Meu querido(a) quem é você para falar mal do Não Faz Sentido Por Trás da Câmera colocando ele nessa lista pelo o que eu saiba você não é conhecido(a)no Brasil todo e a mesma coisa com o Porta dos Fundos e falar mal de Clarice Lispector bom pelo visto você leu TODOS esses livros e examinou bem antes de xingar os Fãs então me diga quais livros são "legais" para você? Historias Da Fazendinha? Mamãe Quero Leite? ou simplesmente nenhum porque você não deve ter o habito de ler.

    ResponderExcluir
  16. Estou completamente chocada com a idiotice de uns que se acham os "maiorais" só porque não leem nenhum desses livros. Acho isso errado, cada um tem o seu gosto para leitura não importa qual seja, ele precisa ser respeitado. Eu acho que ninguém tem o direito de julgar alguém de uma maneira completamente absurda e infantil.

    Thais.
    http://resumidoemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Página Anterior Próxima Página Home